23 de mai de 2013

Rosberg domina e comanda dobradinha da Mercedes no segundo treino livre do GP de Mônaco

As Flechas de Prata brilharam nesta quinta-feira (23) em Monte Carlo. Depois de liderar a primeira sessão de treinos livres do GP de Mônaco, pela manhã, Nico Rosberg foi ainda melhor durante a tarde e, com os pneus supermacios, foi supremo e não deu chances a ninguém. O alemão cravou o melhor tempo do dia ao alcançar 1min14s759 em sua melhor passagem, sendo o único a andar abaixo de 1min15s. E para completar o dia extremamente positivo da Mercedes, a escuderia de Brackley fechou a dobradinha com Lewis Hamilton na segunda colocação, mas 0s318 atrás do companheiro de equipe. Definitivamente, foi uma volta monstruosa por parte de Nico.

Desta vez, a diferença da Mercedes para a Ferrari foi bem maior. Fernando Alonso foi o terceiro colocado da sessão, mas ficou 0s437 atrás do tempo de Rosberg. Felipe Massa conseguiu andar bem próximo do ritmo do seu companheiro de equipe e se colocou em quarto. A julgar pelo desempenho nos dois treinos desta quinta-feira, Mercedes e Ferrari estão bem à frente dos rivais para a sequência do fim de semana.

A Red Bull seguiu discretíssima em Monte Carlo. Mark Webber foi o melhor taurino, mas garantiu somente o quinto tempo, 0s645 atrás de Rosberg. Na sequência, dois pilotos da Lotus: Kimi Räikkönen foi o sétimo, enquanto Romain Grosjean, mesmo tendo batido na primeira hora do treino e com apenas dez voltas durante a tarde, conseguiu uma importante sétima colocação. Jenson Button foi o piloto melhor posicionado da McLaren, em oitavo. Sebastian Vettel decepcionou de novo e concluiu em nono, à frente do seu antigo rival de F3 Europeia, Paul di Resta.

Desta vez, Pastor Maldonado não repetiu a performance da manhã. Sexto colocado no primeiro treino livre, o venezuelano da Williams terminou na 14ª colocação da tomada de tempos da tarde após 36 voltas completadas.
 
Saiba como foi o segundo treino livre do GP de Mônaco da F1
 
A segunda sessão de treinos livres do GP de Mônaco começou bem mais agitada e com praticamente todos os pilotos na pista. Todos, menos um: Sebastian Vettel foi o único que permaneceu nos boxes enquanto via seus oponentes deixarem os boxes logo no início da tomada de tempos.

E com a pista mais emborrachada por conta dos treinos da GP2 e da própria F1 pela manhã, os tempos obtidos foram bem mais rápidos logo de cara. Depois de vários pilotos melhorarem suas marcas em relação à primeira sessão, Alonso, ainda num stint com pneus macios, nem deu bola para o tráfego intenso de Monte Carlo e logo cravou 1min15s519, então o melhor tempo do dia.

Não só Alonso, mas outros cinco pilotos melhoraram a marca de Nico Rosberg pela manhã e andaram abaixo de 1min16s. Além de Alonso, Grosjean, o próprio Rosberg, Hamilton e Webber foram mais rápidos em relação à sessão matutina. Era um princípio de treino bastante animador, bem diferente do que aconteceu mais cedo.

Homenageando François Cèvert, Jean-Éric Vergne foi o primeiro piloto a deixar os boxes usando pneus supermacios. Kimi Räikkönen também foi à pista com os pneus ‘vermelhos’, assim como Jules Bianchi e Max Chilton.

Vettel finalmente deixou os boxes com cerca de 20 minutos de treino. Com pneus duros, o tricampeão do mundo deu início ao seu primeiro stint no treino da tarde, mas não impressionou. Muito pelo contrário. Seb foi mais lento até mesmo em comparação com Mark Webber e figurava na sétima colocação. Lá na frente, Räikkönen assumia a primeira colocação ao estabelecer 1min15s511. Entretanto, o tempo do piloto da Lotus foi apenas 0s008 mais rápido que a marca de Alonso, esta feita com pneus macios.

Em seguida, foi a vez de Rosberg ir para a pista com pneus supermacios. E o alemão comprovou o quanto o W04 é rápido. Nico tinha 1min15s843 com os macios, mas melhorou em mais de um segundo com os compostos vermelhos e passou na reta dos boxes com o tempo de 1min14s759, 0s752 mais rápido que o tempo de Räikkönen, segundo colocado.

Foi a senha para todo mundo trocar os macios pelos supermacios e acelerar forte na sequência da tarde em Monte Carlo. Entre eles, Romain Grosjean. Após abrir uma volta rápida, o franco-suíço entrou na Sainte-Dévote com certo desequilíbrio e acabou perdendo o controle do belo E21 na saída da curva. Mônaco não perdoa erros, e o piloto destruiu o lado esquerdo do carro aurinegro ao bater na barreira de pneus, praticamente encerrando ali sua participação pela manhã.

A direção de prova interrompeu a execução do treino com bandeira vermelha. Não pelos detritos na pista deixados pelo acidente de Grosjean, mas sim por conta de problemas em uma zebra solta na curva da Tabacaria, a 13. Mas o treino ficou parado apenas por quatro minutos, já que os fiscais de pista lograram êxito em realizar o reparo na zebra. 

Pista liberada, carros de volta para a metade final da sessão. A maioria deixou os boxes com pneus supermacios. O alvo da vez era a monstruosa marca de Rosberg. Hamilton, por exemplo, era o segundo colocado, mas testava seu W04 em ritmo de corrida, não representava uma ameaça ao seu tempo. Alonso, Webber e Räikkönen, terceiro, quarto e quinto, respectivamente, também estavam distantes do tempo do alemão, o que só prova o quanto a Mercedes vem forte para este fim de semana no Principado.

Vettel vinha em nono, mas o tricampeão estava com problemas em seu Kers, o que faz falta mesmo em uma pista como Monte Carlo. Massa melhorou sua marca e subiu para uma boa quarta colocação, ficando à frente de Webber e Räikkönen. Com 1min15s278, Feilpe só estava atrás da dupla da Mercedes e do seu companheiro de equipe, Alonso.

Com dois terços do treino já concluídos, as equipes decidiram intensificar a avaliação do ritmo de corrida dos carros, a maioria dos pilotos trabalhando com os pneus supermacios. Bem diferente da Mercedes, a McLaren vinha sofrendo problemas com seu carro. Tanto que Sergio Pérez seguia nos boxes para sua equipe realizar os reparos na asa traseira. Com 23 minutos restando para o fim da sessão, o mexicano foi à pista.

Praticamente todos os pilotos deixaram os boxes nos minutos finais, ocasionando o tráfego intenso, que é uma das marcas registradas de Mônaco. Por conta das configurações utilizadas na fase derradeira da sessão, ninguém conseguiu melhorar suas respectivas marcas, consolidando uma dobradinha da Mercedes, com Rosberg dominante e à frente de Hamilton. Definitivamente, pintou a favorita à pole-position no sábado. Para domingo, no entanto, a história pode ser bem diferente, já que a Ferrari também aparece forte e muito consistente.

F1, GP de Mônaco, Monte Carlo, treino livre 2:
 

 
Fonte: Grande Prêmio
 

About the Author

Author info. Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these with your own descriptions, if you like it Subscribe to Our Feed and Follow Me on Twitter

    Other Recommended Posts

 
back to top